top of page

O que é zedoária?

Atualizado: 30 de mai. de 2023

Muitos me perguntaram quem era a zedoária que coloquei na receita de conserva (veja ao fim deste post a receita), então vou contar um pouco mais sobre ela.


Seu nome verdadeiro é Curcuma zedoaria e já por isso percebemos que é parente da cúrcuma/açafrão-da-terra (Curcuma longa). Estas duas espécies, juntamente com gengibre e galangal (Alpinia galanga), são da mesma família botânica, a Zingiberaceae.


Ela é nativa da Ásia, principalmente Bangladesh, Assam e Leste do Himalaia, locais onde é bem utilizada na culinária e na medicina popular.


Seu cultivo é similar ao de suas parentes. Ou seja, gosta de sol pleno e até mesmo meia-sombra. Terra mais úmida e rica em matéria orgânica. Plantamos através dos rizomas compramos em feiras orgânicas ou colhidos. O ponto de colheita é o mesmo, ou seja, quando as folhas caírem no outono/inverno.


Falando em folhas, ela e a cúrcuma possuem folhas e porte parecidos, porém um detalhe é claro e diferencia facilmente ambas, a zedoária tem uma mancha roxa/vermelha na nervura central da folha (foto abaixo). Além disso a inflorescência tem manchas arroxeadas/avermelhadas, a da cúrcuma é mais branca e amarela.





O rizoma também é diferente, ele é branco e quando cortado começa adquirir coloração azul, devido o contato com o ar. Por isso, as vezes é chamada de cúrcuma-azul ou cúrcuma-preta (black turmeric). Quanto mais maduro o rizoma mais azul ele fica.





Propriedades


Seus rizomas são muito utilizados nas medicinas tradicionais asiáticas, principalmente a chinesa (Medicina Tradicional Chinesa – MTC). Possuem propriedades digestiva, antifúngica, anti-inflamatória, analgésica, carminativa, colagoga, entre outras. O sabor é pungente e levemente amargo. Com os rizomas podemos preparar chá, compressa, cataplasma e muito mais.


Culinária


Seus usos são similares ao do gengibre e cúrcuma, trazendo um aroma pungente, levemente picante e refrescante aos preparados. Sabor entre o alecrim e a cânfora. Pode-se usar fresco ou seco na culinária ou no preparo de bebidas, como infusões.



Estude as plantas medicinais e suas inúmeras potencialidades no curso Introdução ao Herbalismo. Através desse curso, o aluno conhecerá todas as grandes áreas do herbalismo, como cultivo orgânico, fitocosméticos, herbalismo mágico e fitogastronomia. Com isso, terá mais controle de sua vida e mais autonomia no dia-a-dia, produzindo seus próprios preparados botânicos e cultivando suas próprias ervas.


Faça parte da lista de espera da próxima turma. Saiba mais aqui.



1.623 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page