top of page

Quais temperos cachorros podem ou não comer?

Atualizado: 3 de fev. de 2022




Não são apenas os humanos que se beneficiam dos temperos e de suas qualidades saborosas e terapêuticas, os outros animais também podem usufruir disto. Hoje vou contar sobre ervas e especiarias liberadas {ou não} para cachorros. Antes de tudo, é importante dizer que o que irei dizer aqui é para cães saudáveis, sem alguma debilidade física e que não possuem propensões à certas doenças como algumas raças possuem. Aqui não iremos falar de raças específicas e sim de cães de uma forma geral. Se seu amigo possui alguma questão específica de saúde, procure um veterinário para ele liberar ou não o consumo destes temperos.


Começamos pelos proibidos, todos os temperos do gênero Allium, ou seja, alho, cebola, cebolinha, nirá e alho-póro devem ser excluídos da dieta canina, pois podem levar a um quadro de anemia no cão. Portanto, nunca dê comida de humano que tenham estes temperos e nunca prepare para ele alguma comida com estes.


Não se preocupe, apesar destes, existem muito mais que são liberados para você ter na horta e preparar uma comida canina com eles. São alguns deles e seus poderes:


Alecrim (Salvia rosmarinus): ótimo para dar energia ao cão, fortalecer os ossos (combate reumatismo) e potencializar a imunidade, principalmente nas épocas frias do ano.


Cúrcuma (Curcuma longa): excelente anti-inflamatório e antioxidante, prevenindo o surgimento de câncer.


Hortelã (Mentha suaveolens): proporciona a melhor digestão, além de trazer a sensação de refrescamento, ou seja, ideal para os momentos de verão e para aqueles cães que sofrem demais com o calor.


Manjericão (Ocimum basilicum): um sabor amado por grande parte destes. Auxilia na melhor digestão e no combate ao estresse e ansiedade do cão.


Salsa (Petroselinum crispum): tem o poder de repor o ferro, ou seja, excelente para a saúde do sangue, além de fazer a limpeza de toxinas presentes na circulação sanguínea.


Além destes, tomilho (Thymus vulgare), gengibre (Zingiber officinale), melissa/erva-cidreira (Melissa officinalis), erva-luísa/lúcia-lima (Aloysia citriodora), orégano (Origanum vulgare) também estão liberados.


Uma ótima sugestão é ter estes temperos na horta, assim eles poderão comê-los puros quando desejarem.


Outra dica é também ter plantado, mas não para preparar comida, o capim-cidreira/erva-príncipe (Cymbopogon citratus), pois cães e gatos gostam de consumi-los crus por conta de seus poderes calmantes e também por proporcionarem a limpeza do trato digestório, pois esta erva apresenta certa urticância ao ser ingerida, promovendo posteriormente o vômito (não se preocupe, isto é normal) e, com isto, o cão leva pelo vômito os pelos que foram ingeridos durante as lambidas....essa é uma erva coringa para eles! Eles precisam!


E ai, o que achou das nossas dicas? Você já usa algum destes na alimentação de seu cão?


Muito mais sobre os poderes dos temperos no curso A Ciência dos Temperos - Fitogastronomia. Entre na lista de espera aqui.






1.992 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page