A origem das ervas aromáticas


É incrível como a maioria das ervas e especiarias, frescas ou secas, que usamos para aromatizar e dar sabor aos nossos pratos são originárias de outros países. São poucos os temperos tipicamente brasileiros, como cumaru e urucum.

Mas para quê serve saber de onde elas vêm?

Conhecermos a origem das ervas e especiarias nos ajuda aprender a cultivá-las, ou seja, nos possibilita ofertarmos, dentro do possível, condições parecidas ao que a planta receberia no seu local de origem. Por exemplo, orégano, manjerona, lavanda, tomilho, segurelha, sálvia e alecrim são plantas nativas da Europa, mais especificamente da região do Mediterrâneo, por isto se desenvolvem melhor em um solo calcário, sem excesso de água, adubo e bem drenado. Já gengibre, manjericão e cúrcuma são originários da Ásia Tropical, por isto se desenvolvem bem em solos mais leves e férteis, adorando serem plantados até no composto orgânico puro!

Então aí vai a dica: procure saber qual o local de origem da erva aromática ou especiaria que você está querendo cultivar, isto te ajudará a ter maior sucesso na sua jornada.

PRÓXIMOS CURSOS

Assine nossa newsletter (em 'Agenda') e receba sempre dicas e novidades.

#ervasaromáticas #especiarias #jardinagem #hortaorgânica #gabipastro #gabrielapastro #hortasesaberes #hortaurbana #hortelõesurbanos #comoplantar

776 visualizações

                                                                                    São Paulo, SP - Brasil 

©Gabriela Pastro/Hortas e Saberes

                               contato@hortasesaberes.com.br